Histórico

Após 13 anos lecionando na Escola Politécnica da USP, onde se formou e realizou seu mestrado e doutorado, o engenheiro Luiz Laterza foi contratado pela empresa Tigre S.A. – Tubos e Conexões, como Gerente Técnico, tendo, como uma de suas atribuições, o desenvolvimento de novos produtos.
Nesta função, visitou as empresas Durman Esquivel na Costa Rica e  Rib Loc Pty Ltd na Austrália, objetivando trazer para o Brasil a tecnologia de fabricação de tubos helicoidais de PVC, desenvolvida pela empresa australiana e licenciada para a empresa costa-riquenha na América Latina.

Acordo-de-licenciamento-da-tecnologia-Rib-Loc-com-a-Tigre
Reunião entre as empresas Tigre e Rib Loc para o licenciamento da tecnologia

Após a avaliação da tecnologia, realizada com o apoio da Universidade de São Paulo, e sua adaptação à realidade nacional, foram lançados no mercado brasileiro os tubos TIGRE RIB LOC, destinados ao mercado de drenagem pluvial, segmento onde, até então, a Tigre não atuava.

 Gerente Técnico da Tigre apresenta os tubos para o prefeito de Porto Alegre Rib Loc

Gerente Técnico da Tigre apresenta os tubos para o prefeito de Porto Alegre

Para enfrentar o problema logístico de comercializar tubos com grande volume e baixo peso no enorme território brasileiro, a Tigre adotou a estratégia de licenciar empresas regionais para auxiliá-la. Assim, passou a credenciar empresas em diversos estados do país que, além de comercializar o produto, seriam também responsáveis pela montagem dos tubos em sua região a partir do enrolamento helicoidal das tiras de PVC produzidas pela Tigre em suas fábricas. Para isso, a Tigre lhes fornecia em comodato todos os equipamentos necessários e realizava o treinamento das pessoas envolvidas.
Após efetuar o treinamento em algumas dessas empresas e, percebendo que aquela poderia ser uma boa oportunidade para iniciar seu próprio empreendimento, Laterza negociou com a Tigre a sua demissão do cargo de Gerente Técnico e a nomeação de sua futura empresa como uma das licenciadas para a produção dos tubos TIGRE RIB LOC no Estado de São Paulo.
Assim, em junho de 1999, criou a empresa Aqueduto – Tecnologia em Tubulações Ltda, tendo como sócios seu irmão João Carlos e seu cunhado Francisco, também engenheiros. Com recursos de seu FGTS comprou um terreno no município de Cabreúva-SP e lá iniciou a construção da sede da empresa.

Primeiro fornecimento de tubos da Aqueduto em Caraguatatuba-SP Rib Loc
Primeiro fornecimento de tubos da Aqueduto em Caraguatatuba-SP

Desde sua fundação a Aqueduto produziu, também, os reforços de aço utilizados pelos tubos RIB LOC STEEL em todo o país, uma vez que era a única empresa credenciada pela Tigre para o fornecimento daquele insumo para as demais empresas licenciadas.
Em 2005, quando a Tigre anuncia o rompimento do contrato com a Rib Loc Latino América (subsidiária da Durman Esquivel), Laterza viajou para a Costa Rica para negociar a continuidade do produto no Brasil.  Em 2006, após a aquisição da Durman Esquivel pelo grupo belga Aliaxis, as negociações são interrompidas e a Aqueduto decide trilhar um caminho autônomo.
Adquire um linha de extrusão, por meio de financiamento bancário, e passa a produzir suas próprias tiras de PVC em sua fábrica de Cabreúva. No mesmo local, continua a fabricar os tubos helicoidais, porém agora com marca própria. Já a Aliaxis, detentora da marca Rib Loc para a América Latina, passa a fabricar as tiras perfiladas de PVC em uma empresa subsidiária do grupo no Uruguai – a Nicoll – e as exporta para algumas das empresas que tinham sido licenciadas pela Tigre.
Livre de contratos de licenciamento, a Aqueduto passa a ter liberdade para criar novos produtos e expandir seus negócios em todo o Brasil. Torna-se, assim, a empresa líder no mercado de tubos estruturados de PVC para drenagem pluvial.
Com o aumento da demanda pelo produto, a Aqueduto adquire, em 2009, uma segunda linha de extrusão e passa também a exportar o produto para Angola, onde diversas construtoras brasileiras estavam executando obras.
Em 2012, para atender as necessidades da obra na Usina Hidrelétrica de Belo Monte, a Aqueduto estabelece uma filial no município de Vitória do Xingu, estado do Pará.
Da mesma forma, para atender um grande fornecimento de tubos para a Prefeitura de Porto Velho, a Aqueduto estabelece, em 2014, uma filial no Estado de Rondônia.